O tempo esgota-se

É bom poder começar por saudar o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, seguido do PCP e PEV, que apresentou na Assembleia da República uma apreciação parlamentar, inflingindo um chumbo ao desconto da TSU, que alguns tinham acordado na concertação social. Acabou-se assim, com a ideia errada que o aumento do SMN devia ser acompanhado de desconto aos patrões. Continue reading “O tempo esgota-se”

Anúncios

‘Destroikar’ o Código do Trabalho? Ou mais ‘chaves de ouro’ em 2017?

Muito já se falou e escreveu sobre o aumento do Salário Mínimo Nacional e da oferta do governo PS ao patronato, que agora fez um “desconto” maior na Taxa Social Única, pago com o dinheiro dos impostos de todos nós, mantendo e agravando esta má prática pelo terceiro ano consecutivo. Um ano (2015) de PSD, Dois anos (2016/2017) de PS. Neste caso podemos afirmar não existir nenhuma diferença entre estes dois partidos na escolha de campo entre o Trabalho e o Capital, é de facto uma marca de água comum. Continue reading “‘Destroikar’ o Código do Trabalho? Ou mais ‘chaves de ouro’ em 2017?”

Renault e Frauenthal: a Segurança Social é que paga…

Francisco Alves

Podia escrever sobre a última reunião da Concertação Social no passado dia 12 de maio, onde se avaliou o impacto do aumento do SMN – Salário Mínimo Nacional, situação agora “pacífica” entre as partes. Não se podendo dizer o mesmo sobre a Contratação Colectiva que continua a dividir patrões e sindicatos. A CGTP continua a afirmar que é preciso dinamizá-la e resolver o problema da caducidade. Continue reading “Renault e Frauenthal: a Segurança Social é que paga…”