Da necessidade de se consagrar as ‘recall elections’

Miguel de Magalhães

Em democracia verifica-se que, por vezes, aqueles aos quais foi entregue a honra de gerir os negócios públicos em prol do bem comum desonram o compromisso por estes celebrado durante o processo eleitoral. Em Portugal, quando tal acontece, os cidadãos encontram-se completamente desprovidos de um mecanismo que lhes possibilite de chamar à responsabilidade os seus representantes de forma directa. Ficando relegados para segundo plano no funcionamento do processo político entre ciclos eleitorais. Continue reading “Da necessidade de se consagrar as ‘recall elections’”