Com a verdade vamos mais longe

euro

Fabian Figueiredo

O dirigente do PCP Vasco Cardoso, no discurso proferido no congresso, atribuiu ao seu partido o estatuto de “única voz” opositora à adesão de Portugal à União Económica e Monetária para concluir que a “vida deu razão ao PCP”.

Atestar a coerência do percurso do partido não implica reescrever a história ou ocultar factos. A título de refresco de memória e de mero exemplo, aconselho uma breve consulta ao portal do próprio PCP, onde facilmente se encontra o texto da petição “Referendo sobre a Moeda Única”, lançada em fevereiro de 1997.

Entre os primeiros signatários, para além de vários intelectuais e dirigentes do PCP – incluindo o seu secretário-geral à época, Carlos Carvalhas – figuram nomes como Alda Sousa, Fernando Rosas, Francisco Louçã e Luís Fazenda, entre outros, que já à época não tinham a sua sede partidária na Soeiro Pereira Gomes.

Em qualquer debate, com a verdade vamos mais longe.

Anúncios